Está com dificuldade para tomar decisões importantes?

coaching-empreendedor-decisoes.jpg

Se você já se encontrou diante de uma encruzilhada e tem dificuldade para tomar decisões importantes, saiba que é possível tornar isso muito mais fácil.

Acordar agora ou esperar mais uns minutinhos? Ir de blusa leve ou casaco de lã? Seguir na dieta ou comer aquela pizza? Nossa vida é rodeada de decisões. Algumas rotineiras e banais, que tomamos quase automaticamente. Outras são tão importantes que podem mudar o rumo de nossas vidas e afetar muitas pessoas. É natural que apareça uma certa dificuldade para tomar decisões importantes.

Deixar o emprego e investir num novo negócio, casar ou se separar, comprar um carro novo ou viajar para o exterior. Essas são decisões pessoais bem mais complicadas e que podem nos fazer perder o sono. Para um empresário, bater o martelo na hora de enxugar o quadro de funcionários ou de dobrar o investimento num determinado projeto pode fazê-lo se sentir só e inseguro.

Se você já se encontrou diante de uma dessas encruzilhadas e teve dificuldade para tomar decisões importantes, saiba que é possível mudar seu mindset e tornar isso mais natural.

Entenda como o cérebro funciona

Antes de mais nada, você precisa saber como o seu cérebro funciona para te ajudar na tomada de decisões. Afinal, nem tudo que você faz é consciente. Algumas decisões são tomadas no automático, no instinto. Como, por exemplo, quando você está dirigindo e um cachorro atravessa sua frente. Você age instintivamente desviando para evitar o atropelamento. Não há tempo de pensar nas consequências. Você age por impulso.

Em outras situações, o cérebro usa as experiências passadas para determinar a melhor opção. Um jogador de futebol, por exemplo, que está cara a cara com o goleiro, não tem tempo para analisar todas as variáveis e decidir qual o melhor jeito de chutar para o gol. Ele faz no automático, baseado nas experiências passadas, nos outros vários chutes que ele já deu.

Outras decisões são tomadas com base na lógica e na razão. Quando você está decidindo sobre entrar numa sociedade para um novo negócio, por exemplo, seu cérebro avalia tudo com base na comparação e no resultado a longo prazo, mesmo que no momento você tenha medo de assumir os riscos envolvidos.

Outra forma que determina nossas decisões é por meio das influências de nossas crenças que, muitas vezes, não são nem muito conhecidas. As crenças são formadas pelas associações que o nosso cérebro faz. São os filtros através dos quais vemos o mundo. Sabe aquela tia próxima que repetia sempre a mesma frase pra você: "Meu filho, tem que trabalhar duro pra ter um pouquinho de dinheiro". Isso era uma realidade aos seus olhos. Então, suas escolhas serão baseadas em trabalhar duro pra ter um pouquinho de dinheiro. A não ser que você conheça e transforme suas crenças.

A dificuldade para tomar decisões importantes pode ser devida a seu cérebro estar em conflito

Se nosso cérebro tem áreas específicas para tratar determinadas situações e tomar a melhor decisão, por que certas horas isso não funciona? Por que demoramos e usamos a razão para tomar decisões que deveriam ficar por conta do instinto ou intuição? Por que agimos por impulso quando a situação requer um comportamento racional?

Pode ser que sua mente esteja em conflito. Cada área tenta defender a sua visão. Intuição, experiências e razão brigam pra ver qual vai levar a dianteira. Talvez seja por isso que você tenha dificuldade para tomar decisões importantes.

O segredo é saber usar a razão e a emoção equilibradamente

Intuição e experiência cuidam do seu presente e estão relacionadas à emoção. A razão pensa no seu futuro. Para amenizar a dificuldade para tomar decisões importantes, você precisa organizar estes três sujeitos em sua mente e pensar qual tipo de decisão precisa. Nem sempre uma decisão será 100% racional ou emocional.

No ambiente corporativo você precisará da razão para ter menos dificuldade para tomar decisões importantes sobre os rumos do negócio, mas também precisará de pitadas de decisões emocionais para lidar com as pessoas e, até com oportunidades. Pra facilitar esse processo, tem algumas coisas que você pode fazer. Vamos a elas?

1 – Avaliar alternativas

Pense em tudo que pode ser feito, quais suas opções e, se possível, analise diferentes pontos de vista e opiniões. Se a decisão for a demissão de um funcionário, por exemplo, avalie qual o problema que ele está tendo. Está relacionado a uma outra pessoa? Será que muda-lo de função pode resolver? Reúna o máximo de informações antes de tomar alguma atitude e, então, siga o próximo passo.

2 – Não aja por impulso

Na hora de tomar uma decisão importante, como a citada acima, não aja por impulso. Primeiro avalie as alternativas e dê um tempo para suas ideias se acertarem em sua mente. Certas decisões não precisam ser tomadas rapidamente. Então, desligue a mente, faça alguma atividade criativa, como ouvir música ou desenhar. Ou simplesmente medite. Deixe pra decidir com calma, depois.

3 – Pense nas dificuldades e consequências

Ainda usando o exemplo anterior, se você decidir pela demissão, o que pode acontecer? Vai ter que remanejar pessoas? Sua empresa perde produtividade? Pense em todas as hipóteses que podem acontecer e tente solucionar estes problemas antes que eles ocorram. Tenha um plano B preparado e, assim, ficará mais fácil de tomar a decisão. Os mapas mentais também são ótimos para ajudar a mapear a decisão. Se você já sabe o que pode dar errado, já pode se preparar para que, justamente, isso não aconteça.

4 – Assuma os riscos

Já dizia a música: Cada escolha, uma renúncia, essa é a vida! Não tenha medo das decisões que você precisa tomar. Se você já avaliou, ponderou, pensou nas consequências, chegou a hora de agir. E se errou, não se porte com arrogância. Assuma os erros. É normal e não adianta fugir: uma hora você vai errar. No mundo das startups, por exemplo, as experiências de falências são valorizadas. Pode parecer clichê, mas são os erros que vão lhe ensinar muita coisa. Mas, claro, se você souber assumí-los e aprender com eles.

Talvez você precise de um oráculo

Na antiguidade, quando uma pessoa tinha dificuldade para tomar decisões importantes, consultava um oráculo, um intermediário que conversava com os deuses na busca de respostas para os mais variados problemas. Reis tomavam decisões sobre entrar ou não em guerra perguntando aos seus oráculos.

Talvez você também precise de algum tipo da ajuda para que não tenha tanta dificuldade para tomar decisões importantes. Felizmente, hoje em dia, os oráculos não estão mais baseados em adivinhações ou somente em inspiração divina e, sim, em muito estudo e experiência. E, agora, são conhecidos como coachs.

Um coach pode lhe ajudar a entender sua mente e criar mecanismos para acabar com a dificuldade para tomar decisões importantes, além de mostrar alternativas, te apresentar experiências e outras situações semelhantes. Tudo isso vai contribuir para te dar uma visão mais ampla sobre os seus problemas e sobre as decisões que você pode tomar.

Sabe aquele amigo que sempre ouve seus problemas, te dá dicas do que fazer e ainda te dá uma injeção de ânimo pra não ficar pra baixo? Então, no mundo corporativo esse amigo se chama coach e você pode ter um! Afinal, todos precisam de um bom amigolque saiba como te ajudar.

Para entender melhor o quanto um processo de coaching pode te ajudar a minimizar a dificuldade para tomar decisões importantes, marque uma primeira consulta gratuita!